terça-feira, 24 de maio de 2011

A Importância do Idoso na Sociedade Atual

Com o intuito de dar oportunidade de inclusão aos que tem menos acesso à mídia eletrônica , foi proposto como trabalho conclusivo do curso de Sociologia da Comunicação, a criação de um blog, com o objetivo de aproximar aqueles que são excluídos dentro da mídia virtual.
Pretendemos entender de uma maneira mais evidente a influencia da mídia em nossa sociedade, afinal muitos ainda não parametrizaram a preponderância desta atualmente. Em primeiro ponto caracterizamos a mídia como democrática, porém depois de um estudo detalhado conclui-se que no Brasil a democratização não é aplicável a todos. Apesar de vivermos numa sociedade midiada, o poder desta é centralizador, e de poucos. O conteúdo, a freqüência e a ênfase da informação são determinados pela mídia, cabendo a nós a filtragem de fatos importantes e qualificados.
Escolhemos, portanto tratar de um público muitas vezes esquecido pela maioria de nós: os idosos. Diagnosticamos basicamente dois tipos de problemas ligados a estes na televisão: ênfase em características negativas e pouca representação dos mesmos. A estereotipação feita pela mídia de uma velhinha sentada na cadeira de balanço, vestida com xale e fazendo tricô, torna-se imagem predominante quando associamos a imagem do idoso as suas reais características. A visão que a sociedade tem hoje do mundo da velhice é uma construção do marketing comercial.
Nossa cultura valoriza muito a juventude, pelo histórico de um país jovem, porém o número de idosos vem crescendo de forma gradativa, fazendo parte de um grupo de mais de 14 milhões de pessoas, representando 8,6% da população total. O preconceito contra o idoso esta presente em nossa sociedade e é com freqüência manifestado pela falta de sensibilidade e de solidariedade, tornando depreciativo o destino inevitável de todos nós: envelhecer.
O envelhecimento é entendido como parte integrante e fundamental no curso da vida de cada indivíduo. É nessa fase que emergem experiências e características próprias e peculiares resultantes da nossa trajetória.
Um fator importante a ser levado em conta é o lugar do idoso na família e no contexto social. Após a aposentadoria, o idoso exerce função própria no convívio familiar, seja como provedor parcial e mesmo total de renda ou simplesmente de avós, sobrando pouco tempo ou recursos para atividades de lazer e diversão. Os que disponibilizam desses benefícios representam uma parcela específica da sociedade. Para aqueles que não têm acesso a atividades de lazer e mesmo a uma alimentação adequada está reservado o lugar de exclusão e abandono. O que leva muitos idosos terminarem suas vidas esquecidos em asilos, que muitas vezes são precários e não suprem suas necessidades. Apesar de seu papel desconstrutor, o asilo faz emergir a possibilidade de reconstrução de um novo mundo social para o idoso, limitado, restrito em relação à sociedade mais ampla, mas ainda assim suficiente para que ele incorpore alguns papéis e resgate, pelo menos parcialmente, sua condição de ser humano.
Nas visitas realizadas podemos ver um recomeço de vida para cada um daqueles asilados, a nova oportunidade de se mostrarem úteis e de uma rotina integrada, foi dada graças a pessoas que dedicam seu tempo e se esforçam, por acreditarem que estes foram os principais precursores que se devotaram para o desenvolvimento da nossa atual sociedade.

"Nem a juventude sabe o que pode, nem a velhice pode o que sabe."
José Saramago

Nenhum comentário:

Postar um comentário